Cinco descobertas arqueológicas históricas feitas em 2016

Penso que falo por qualquer Ser Humano com meio átomo de um Cérebro saudável quando eu digo que 2016 foi um ano bastante tumultuado.

Pra dizer o mínimo.

Enfim, pra resumir, eu pretendia apontar as Descobertas Arqueológicas mais estarrecedoramente embasbacantes de 2016, mas a Internet não me ajuda (as listas que encontrei chegam a ser completamente diferentes umas das outras), então, farei minha própria lista, apesar de nem todas elas serem noticiadas aqui no blog.

Poisé, não dá pra saber tudo.

Então prepare seu corassaum para a minha lista das Cinco Descobertas Arqueológicas mais estarrecedoramente embasbacantes de 2016.

 

05 – Punhal extraterrestre de Tutancâmon

punhal-tutankhamon

Todos que acompanham esse Blog sabem que eu tenho uma quedinha pelo Egito.

A região abrigou uma das Civilizações mais charmosas e intrigantes que eu consigo pensar e, cada vez mais, as coisas daquele povo ali me surpreende. Pirâmides milenares, rituais cheios de mistério usando uma lingua morta escabrosamente complexa, enfim, tudo aparece.

Agora tem uma pexeira vinda do espaço.

Olha só, a tumba de Tutankhamon foi encontrada, intacta, por Howard Carter em 1922, então, muita coisa lá estava do jeito que foi deixado pelos caras que deixaram lá na Tumba. E tirando a máscara mortuária, o artefato mais curioso (pra dizer o mínimo) é um par de adagas que, passados milênios, não oxidaram e estavam lá, bonitinhos.

A História de Tutankhamon já é recheada de assombração, ainda vem um negócio desses. Será que as adagas fazem parte dessa atmosfera assustadora?!

Não, é que elas são extraterrestres. Só isso.

Teorias de Astronautas Antigos?!

Depois de um espectrômetro de fluorescência usando raios X revelou que o  material das adagas eram de origem extraterrestre, ou seja, de fora da Terra. Isso foi comprovado por conta dos níveis de cobalto e níquel.

Provavelmente foi usado um meteorito para confeccionar as adagas (que ficou supimpa, por sinal).Também dizem que existem textos e papiros falando de “ferro do céu”, especula-se que os meteoritos vieram do Mar Vermelho.

04 – Contrato de arrendamento em Teos (Turquia)

cidade-de-teos

Pois tome, não falo só do Egito!

Muito do conheciment que temos de como legislavam antigamente vem das Estelas (vem do grego e significa “Pedra Erguida” e são objectos em pedra individuais nos quais eram efectuadas esculturas em relevo ou textos), por exemplo, temos a famosa Pedra de Roseta e as Estelas na cidade maia de Tikal.

Na antiga cidade de Teos (Turquia),  uma dessas Estelas foi encontrada em ótimo estado de preservação, já que ela tem 2.200 anos. A Estela tem cerca de 58 linhas legíveis sobre um contrato de arrendamento.

Isso me lembra os contratos já encontrados no Egito.

Ainda, o texto é considerado um dos contratos mais abrangentes da Anatólia, já que apresenta um fiador e seis testemunhas (incluindo os Notáveis da cidade), também declara punições contra o uso indevido de terrenos que contenham edifícios.

03 – As pernas mumificadas de Nefertari

pernas-mumia-nefertari

A tumba da Rainha Nefertari (Tumba QV 66) e esposa de Ramsés II (reinou entre 1279 e 1213 a.C.) foi encontrada em 1904. O lugar estava repleto de coisas, porém, o que mais chamou a atenção, certamente, foi a múmia da rainha.

Só tinham as pernas.

Mas isso não desmotivou os pesquisadores, que trataram de expor o Achado em inúmeros museus (como no Museu Egípicio em Turim – Itália), porém, era mais do que óbvio que estudos eram necessários para indicar que aquelas pernas eram, de fato, de Nefertari.

No finalzinho de 2016, um estudo interdisciplinar concluiu que as tais pernas eram da raunha Nefertari.

As mudanças na Mumificação ajudaram na pesquisa

Segundo o estudo, a dona das pernas morreu entre 40 e 60 anos (ela tinha artrose), ainda, as substâncias usada na Mumificação são as mesmas (em tese) no processo feito durante as 19ª e 20ª dinastias (seu período de vida).

Nefertari só perde, em referência ao Antigo Egito, para Cleopatra e Nefertiti.

02 – Mosáico com a inscrição “Aproveite a Vida”

2,400 year-old mosaic found in Turkey's Hatay says "Be cheerful, enjoy your life"

Esse bombou aqui no Blog.

Pesquisadores do Museu Arqueológico de Hatay encontraram um mosaico, provavelmente do Séc. II a.C. na provincia de Hatay (capital Antioquia – Turquia). No mosáico, há um desenho de um Esqueleto e a inscrição “Aproveite a Vida”, além de desenho de pão e vinho.

Segundo Demet Kara (especialista do Museu de Hatay), o mosáico pode mostrar um pouco da rotina dos habitantes da região naquela época.

Ainda, há outro mosaico existente em Pompéia que também é retratado por um esqueleto, porém, a mensagem exibida é “Conheça você mesmo”.

01 – O Bisão de Higgs

Já falamos sobre Arte Rupestre e, novamente, a Interdisciplinaridade atua no trabalho de desvendar as origens de um Animal que ficou conhecido como “Bisão de Higgs” (referência ao “Bóson de Higgs” – conhecida como Partícula de Deus, que os Físicos estudam desde 1960).

origem há 120 mil anos, a partir da hibridização entre duas espécies extintas: o auroque, ancestral dos bovinos modernos e o bisão da estepe, que viveu na Era do Gelo na Europa e na América do Norte. Além disso, o estudo concluiu que o “bisão de Higgs” foi o ancestral do bisão-europeu moderno, cuja origem até hoje era considerada incerta.

bsao-de-higgs

pesquisadores estudaram pinturas de cavernas em Lascaux e Perguset e notaram várias mudanças entre o bisão pintado há 20.000 anos e os pintados 5.000 anos depois. As mudanças incluíram diferentes tipos de corpo e chifres distintos.

Enquanto as pinturas anteriores lembravam o Bisão da Estepe, os cientistas acreditam que os desenhos mais recentes retratavam uma espécie inteiramente diferente. Para confirmar sua hipótese, eles examinaram a evidência de DNA de ossos e dentes de bisão que foram recuperados de vários locais em toda a Europa.

Estes ossos e dentes se originaram entre 22.000 e 12.000 anos atrás. Os cientistas concluíram que, de fato, o bisão posterior era uma espécie nova que descendia do Bisão da Estepe e dos auroques.

A nova revelação encerra uma década de confusão em relação ao sequenciamento do genoma do Bisão da Estepe, que às vezes tinha seções fora do lugar. A recém-encontrada espécie foi nomeada Bisão de Higgs.

MENÇÃO HONROSA – O Túmulo de Kasta

Esse ainda está dando o que falar.

entrada
Parte da entrada da monumental tumba em Amphipolis

Em Novembro/14, na cidade de Anfípolis (hoje periferia da Macedônia), a equipe da arqueóloga Katerina Peristeri começou o trabalho em uma gigantesca Tumba que, justamente, devida ao seu monumental erguimento (enormes Cariátides na entrada, com tumbas em calcário e uma possível “tumba dentro da tumba”) e a ossada de Cinco indivíduos (além de ossadas de animais), especula-se que se trate de alguém ligado ao próprio Alexandre, o Grande.

Muito já foi dito sobre isso: Roxana (esposa), Olímpia (mãe), Hefestião (namor… ahn, amigo e tal). Aí você se pergunta: “Mas se foi descoberta em Novembro de 2014, como ela pode estar em uma lista de descobertas de 2016?“.

O fato é que, em 2016, segundo Grigoris Tsokas (departamento de geofísica Aplicada da Aristotle University of Thessaloniki), a estrutura da Tumba de Kasta sugere que há uma “segunda estrutura” abaixo do nível do solo.

O que, por si só, já é uma grande descoberta.

Anúncios

Comenta aí, pô!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s