Ilustrações de um jovem soldado feitas durante a Segunda Guerra Mundial

Agui no blog já falamos algumas vezes sobre a Segunda Grande Guerra Mundial. Desde a influência do Mundo Espiritual sobre eventos desse porte, conforme consta no livro psicografado Nosso Lar e documentários sobre o impacto da Indústria dos desenhos animados na ideologia armamentista até a descoberta do poderoso Sen Toku I400, tido como a arma mais poderosa japonesa da Segunda Grande Guerra Mundial.

Ah sim, claro, este é um blog sobre História e não poderia ser diferente.

Contudo,  apesar de discutirmos um evento tão atroz e horripilante como uma Guerra total entre Grandes Potências que não arredam  o pé em suas decisões, mesmo uma guerra mundial retrocede, nem que seja por uns instantes, diante de sentimentos que nos tornam menos ferozes.

Como  ocorreu na famosa Trégua de Natal, onde a Primeira Grande Guerra Mundial parou para soldados de lados opostos festejarem o Natal. E hoje falaremos mais um pouco sobre outro tipo de Expressão Sentimental que, apesar de não por fim a uma Guerra Mundial, ganhou seu espaço e se permite admirar mesmo depois de tantos anos.

A Arte do desenho.

Quer dizer, diante de tantas pessoas morrendo e pessoas querendo meter uma bala do tamanho de uma caneta Bic nos seus miolos, quem teria nervos pra desenhar?!

O CADERNO DE RASCUNHO (SKETCHBOOK) DE VICTOR LUNDY

Ilustrações de um jovem soldado feitas durante a Segunda Guerra Mundial - Capa do Caderno de rascunho de Victor Lundy
Ilustrações de um jovem soldado feitas durante a Segunda Guerra Mundial – Capa do Caderno de rascunho de Victor Lundy

Victor A. Lundy nasceu em 1923 e tinha seus 19 anos quando, em meio a Segunda Grande Guerra Mundial, resolveu registrar o cotidiano de um soldado “Born to the Kill” em seu caderno de rascunhos.

Apaixonado por desenho, preencheu cerca de oito cadernos de rascunhos com a rotina vivida nos campos onde foi enviado, como soldado da 26ª Divisão de Infantaria dos EUA. Podemos conferir praticamente de tudo: Equipamentos, treinamento militar, soldados marchando, soldados descansando, soldados mortos, soldados relaxando…

…um breve momento para fumar não era pra qualquer um.

Em 1942, Victor cursava Arquitetura na Universidade de Nova York quando se alistou no Exército. Segundo Ele, a ideia da Guerra causava excitação entre os Jovens de sua época, porém, o horror veio logo depois do treinamento.

Nno Campo de batalha , quando desembarcaram em pleno Dia D em 1944, o terror atingiu a todos que se alistaram com a ideia de reconstruir a Europa após a guerra.

Porém, ele não ouvia qualquer disparo, qualquer explosão, sequer se preocupava se levaria um tiro. Tudo sumia quando começava a rabiscar.

A maioria das páginas são referente aos meses de Maio a Novembro de 1944. Lundy acaba ferido e encerra seus registros no caderno de rascunho. Porém, até esse momento, Victor Lundy já tinha lotado cerca de oito cadernos de rascunhos, num total de 158 desenhos.

Aliás, Victor A. Lundy conseguiu se formar em Arquitetura e fazer carreira.

Aliás de novo, Victor A. Lundy é um dos maiores nomes da Arquitetura Moderna lá na terra do Tio Sam, formado pela Universidade de Havard e pela Sarasota School of Architecture.

Os cadernos que sobreviveram foram doados para a Library of Congress e podem ser conferidos em alta resolução.

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. Pirata disse:

    Bem bacana a arte do cara.

    Curtido por 1 pessoa

Comenta aí, pô!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s