Canoa encontrada no Rio Grande do Norte é mais antiga do que o descobrimento do Brasil

Ah, a arte de velejar pelas águas…

Com seu encanto e sedução, o Homem sonha em se aventurar pelos rios, mares, oceanos e coisas do tipo desde que o Mundo é mundo e não apenas isso, mas desbravar rotas marinhas também traz uma caralhada de possibilidades aos Desbravadores de plantão.

As Grandes Expedições estão aí pra provar o que eu digo.

E pensar que tudo isso começou com a boa e velha Canoa. No Antigo Egito (sim, eu tenho que falar do Egito), as canoas feitas de papiro já eram uma sensação entre as pessoas daquela época e a canoa ainda é um recurso bastante interessante atualmente. No Rio Garnde do Norte, foram encontradas quatro canoas cujo uma delas, depois de estudos, é mais antiga do que o descobrimento do Brasil.

Chagas abertas!

Canoa encontrada no Extremoz é mais antiga do que o descobrimento do Brasil

Por volta de 2013, depois de uma forte estiagem, foram encontradas canoas monóxilas (canoas feitas de um único tronco de árvore) no rio Extremoz (Região Metropolitana de Natal). São quatro canoas encontradas e estudos da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), mostram que a idade de cada uma delas varia entre 210 e 700 anos.

Ideal e o Possível - Canoa Monoxila
Canoa Monoxila

Cada canoa mais velha do que a outra.

O pesquisador Hamilton Marcelo Morais Lins Júnior, autor de uma dissertação (mestrado) sobre Arqueologia Marítima fez mergulhos na lagoa Extremoz quando da descoberta das canoas em questão.

Depois de estudos baseados no Carbono 14 para datação de uma idade aproximada do artefato, o pesquisador chegou na seguinte conclusão:

  • A Canoa Extremoz 01 tem 230 anos
  • A Canoa Extremoz 02 tem 210 anos
  • A Canoa Extremoz 03 tem 280 anos
  • A Canoa Extremoz 04 tem 700 anos

A canoa de 700 anos é, consequentemente, anterior a data de descobrimento do Brasil, sendo considerada (claro!) o objeto arqueológico náutico mais antigo do país e dizem que ainda há cerca de outras 12 canoas no fundo da lagoa.

Ideal e o Possível - As canoas expostas (A maior tem mais de 2 metros)
As canoas expostas (A maior tem mais de 2 metros)

DESCASO COM A HISTÓRIA DO BRASIL

Apesar de tamanha importância (e relevância) Histórica e Cultural, estes artefatos não receberam o devido tratamento e foram encontrados sem qualquer tipo de cuidado no gramado da entrada da Fundação de Cultura Aldeia Guajiru (região metropolitana de Natal).

As fotos são de Lenilton Lima (fotógrafo e pesquisador), que encontrou as canoas nas condições já mencionadas. O Museu Câmara Cascudo também está cuidando de uma das canoas. Uma reportagem completa sobre o assunto, você encontra no site Tribuna do Norte.

SENTA QUE LÁ VEM A HISTÓRIA…

Segundo o Wikipédia, a região onde fica o lago de Extremoz (litoral do Rio Grande do Norte) foram, inicialmente, habitadas pelos índios tupis e paiacus que viviam às margens da Lagoa de Guajiru. Esta terra foi dada aos Jesuítas  pelo Capitão-mor Jerônimo de Albuquerque.

A ideia era cuidar da aculturação… digo, catequização os Índios.

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. Caroline disse:

    Incrível como uma descoberta tão importante além de não receber o devido tratamento não recebe divulgação nenhuma. Algo tão incrível, que pode dizer tanto sobre as tribos que habitaram a região e sobre a história do nosso país, deveria ser tratado com o cuidado e respeito devido.

    Curtido por 1 pessoa

Comenta aí, pô!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s