Mês da Mulherada – Estudiosa da Bíblia Hebraica afirma que Maria não era virgem

Sim, sim, nós já falamos sobre as Maria durante este Mês já consagrado ao sexo oposto.

A divisão do Mar Vermelho, as 10 pragas do Egito, praticamente todo o Livro de Daniel ou mesmo a castidade de Jesus são eventos fantásticos tem um caráter místico  envolvente, complexo e sedutor por sua própria natureza e sempre foi e sempre serão alvos de especulações, pesquisas e conclusões precipitadas…

ou não, como diria Caetano.

Não sei se já aconteceu com você, Oh Leitor de valor inenarrável, mas eu sou um rato de internet no que diz respeito a documentários sobre Religião. Já vi uma caralhada deles e muitos pecam ao não apresentar uma postura determinante ou uma conclusão dos fatos discutidos. A verdade é que sua maioria escatológica se resume a “mais do mesmo”, lendo e relendo o que a maioria das pessoas comuns filhos de Deus já deveriam saber decorado ou expondo fragmentos de informação de forma arrojada para convencer pseudo intelectuais.

Cof, cof, Zeitgeist, cof cof.

Acho que já me fiz entender.

Enveredando por esse tipo de terreno, gosto daqueles que questionam a orientação histórica e religiosa convencional da população, como o casos que desmistificaram a morte do Faraó TutAnkhAmon ou da origem incestuosa do faraó TutAnkhAmon, além da morte da faraó Cleópatra VII, que também foi alvo do Mês da Mulherada.

Recentemente, um estudo sobre um possível erro na tradução das escrituras antigas em hebraico questiona a virgindade de Maria de Nazaré quando do nascimento de Jesus, pelo menos essa é a proposta da professora de Hebraico Bíblico da University of Exeter Francesca Stavrakopoulou.

O nome da tia é complicado pacas, mas vamos nos concentrar na proposta.

MAS MARIA ERA, OU NÃO ERA VIRGEM?!

Durante a narrativa bíblica do Novo Testamento, Maria, a mãe de Jesus, é apontada como Virgem e sobre essa argumentação não há muito o que questionar.

Você sabe muito bem o que isso quer dizer. Ela é Virgem e pronto!

Como é de nossa natureza procurar pelo em ovo, confrontamos o que não conhecemos ou não entendemos. Até alguns anos atrás questionava-se a possibilidade de Maria (após cumprir a missão de trazer o Messias ao Mundo) teria continuado virgem pura imaculada coisa e tal.

Tudo indica que não.

Em vários pontos do Novo Testamento (Mateus 12:46 e 47; 13:55, 56; Marcos 6:3; Lucas 8:19 e 20; João 2:12; 7:3 até 5, por exemplo), surgem “irmãos” de Jesus junto de Maria e dos Apóstolos, descartando a ideia de que os irmãos e os apóstolos seriam as mesmas pessoas e não há falha na tradução que desfaça esse ponto.

Legal?

Legal!

Contudo, tem uma coisa que eu sempre bato em cima neste espaço virtual excessivamente criticista: A Transliteração é foda.

Professora Francesca Stavrakopoulou
Professora Francesca Stavrakopoulou

AS DESVANTAGENS DA TRANSLITEAÇÃO

Para quem não sabe, a Transliteração consiste em trazer, de um alfabeto para outro diferente, um determinado Texto. O maior problema está em transcrever termos que acabam perdendo o sentido nessa mudança de um idioma para outro ou mesmo não tem um equivalente.

Ai você deve pensar algo do tipo “Isso daí é tradução”, mas não é.

No caso da Bíblia, escrita em Hebraico, a transliteração para outros idiomas já teria suas complicações por conta das particularidades do referido idioma (escrito da esquerda pra direita e contém apenas consoantes, por exemplo). A teoria da professora Francesca Stavrakopoulou se baseia exatamente nisso.

Para a referida estudiosa, o termo problemático seria citado em Isaías 7:3, onde o Senhor conversa com o Rei Acaz sobre um Sinal, uma Virgem que dará a luz a um filho que se chamará Emmanuel. Para Francesca, “a palavra usada no texto em hebraico, Almah, significa basicamente uma jovem que está na idade apropriada para se casar”.

QUESTÕES SEMELHANTES

Livro Forjado
Forged – Livro que questiona a autoria de vários textos bíblicos.

Enfim, seja como for, muita gente apresenta ao mundo suas conclusões sobre estudos religiosos (sejam eles profundos ou não) na forma de densos programas/livros/documentários/palestras e esperam que a população endosse a ideia.

Muitos estudiosos, como o caso do professor Bart D. Ehrman que, em seu livro Forged (que questiona a veracidade de alguns livros da Bíblia) afirma que apóstolos como Simão Pedro e João seriam analfabeto, por isso, seria impossível escreverem um livro.

Partindo dessa ideia, podemos pensar que o próprio Jesus Cristo era analfabeto, pois quem fez seus relatos foram os apóstolos ou que Sócrates era analfabeto, pois sua história foi redigida por Platão.

Anúncios

Comenta aí, pô!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s