Pai constrói prótese para o filho usando impressora 3D

images

Sim, caríssimos leitores, a tecnologia dos filmes Sci-Fci não parece mais tão distante.

No tempo do meu avô, produtos que retardam a velhice e a degeneração de células nervosas, armas com projéteis de choque e telemóveis com conexão banda larga com alta acessibilidade para a população de baixa renda seriam tão escabrosas e improváveis quanto cagar rodando sem sujar apenas o necessário. Vejam que nossa tecnologia, hoje, nos proporciona uma série de benfeitorias que só tendem a crescer, seja por necessidade de melhoria de vida, seja pela simples curiosidade.

Afinal, são as perguntas que movem a Humanidade, e não as respostas.

Ainda não inventaram uma pistola que crie um pulso eletromagnético capaz de inutilizar paredões de som, mas isso é só uma questão de tempo.

Sobre tecnologias impressionantes ao alcance do povão,  vale ressaltar qualquer coisa sobre as impressoras 3D, que já fazem parte da vida de muita gente. São versáteis, proporcionam grande satisfação no que se propõe a fazer e você não precisa ser podre de rico para ter uma belezura dessas na sua humilde residência.

Claro, adquirir uma pode quebrar seu orçamento em pedaços a ponto de você imprimir um revolver com as balas e se matar de arrependimento… quero deixar claro que o custo/benefício deve ser levado em consideração aqui.

Para fazer você pensar melhor no assunto, conheça a história de Leon McCarthy, o garoto Cyborg mais legal de Marblehead (Massachusetts – EUA).

Leon McCarthy
Leon McCarthy demonstrando o poder de sua mão biônica.

A história de Leon é bem interessante e poderia passar despercebida se não fosse a perspicácia de seu pai, Paul McCarthy. A questão é que Leon nasceu sem os dedos da mão esquerda. Isso acontece com muita gente por aí e não ganharia notoriedade, principalmente se levarmos em consideração que uma mão mecânica custa caro pacas.

A ideia de fazer uma prótese para o garoto usando uma impressora 3D não demorou muito. Como já falei antes, material na internet ensinando a criar desde armas que burlam a segurança convencional até próteses de traqueia em bebês não faltam na internet. Tem uma postagem legal sobre o assunto no TecnoBlog e eu recomendo, leiam aqui.

Paul resolveu encarar a parada e procurou vídeos que dessem qualquer norte para criar uma prótese que atendesse as necessidades de Leon. Quando encontrou, não pensou duas vezes e aproveitou que na escola de Leon haviam impressoras 3D e o material para a impressão não custou tanto (cerca de 10 dólares). O resultado é esse daí.

O bom é que, além de não exigir um diploma universitário para usar a prótese (movendo o pulso para frente, os dedos fecham, movendo para trás, os dedos abrem), o garoto contou, em entrevista ao canal CBS, que se sentiu um “Cyborg”.

O efeito do novo aparato na vida social e pessoal de Leon McCarthy não poderia ser melhor, o pequeno cyborg demonstra afinidade com a prótese e sua vida ganha novos horizontes com a aquisição da mão biônica, além de não ser tratado como Frankenstein.

Anúncios

Comenta aí, pô!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s