Setembro Amarelo – O ritual Seppuku (samurai)

Bem, promessa é dívida.

Na postagem sobre o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, faltou falarmos sobre culturas que estimulam o suicídio. É fácil entender que tirar a própria vida não é nada vantajoso para ninguém (principalmente para aquele que irá morrer) e a psicologia trata tal ato como um grito perturbado do indivíduo diante de eventos externos, um fato social e, portanto, de difícil tratamento.

Sim, é complicado pra caralho.

Contudo, todo mundo sabe que existem culturas que dão a este Ato Nefasto um caráter nobre e que vale a pena, assim, o suicídio ganha espaço no entendimento daquela sociedade. Para piorar, eu acho que esse tipo de cultura mórbida se instala apenas em regiões modeladas pela guerra selvagem ou desmedido senso competitivo, onde é melhor morrer glorioso do que carregar uma falha no currículo.

Um bom exemplo disso é a prática do seppuku na vida dos samurais.

Quer dizer, na morte deles.

Você entendeu.

Porra!

SEPPUKU – A HONRA DO SAMURAI

Você deve estar se perguntando o que xavascas é o Seppuku. Antes disso, você precisa saber que o Samurai era um guerreiro muito respeitado em sua região, orgulhoso e formador de opinião. Tem autoridade para mandar, desmandar e transformar em sushi qualquer um que olhe torto pra ele…

… mas nem sempre as coisas acontecem como queremos e ,um dia, a gente toma uma bifa forte demais e perdemos uma peleja.

Uma derrota, na vida de um samurai, não era apenas a perda de sua glória e sua honra, mas havia todo um contexto sócio-cultural na época e eles não podiam conviver nessa situação. Ocorre que o seppuku seria a expiação das gafes do Samurai desonrado diante de seus companheiros de espada. Basicamente, o samurai pagava pelo erro com a própria vida.

Cabuloso.

Depois de um banho, o samurai tomava uns goles de saquê e escrevia algumas linhas poéticas sobre sua morte, então, abria a própria barriga usando um punhal característico para a ocasião (chamado de Tanto ou Wakizashi), espalhando sanguinolentas vísceras pelo chão.

hara-kiri
O Seppuku é conhecido mais como Harakiri, que significa (literalmente) abrir o buxo e é considerado um ato de extrema coragem entre os guerreiros da época.

Vale ressaltar que este método é, sem dúvida, muito ligado ao código ético e moral do guerreiro samurai e suicidar-se tem apelo cultural de nível extremo. Entenda que, caso o guerreiro não pratique o seppuku, ele perde sua honra e não apenas isso, perde também oportunidades de trabalho, perde benefícios e até mesmo matrimônio. O cara praticamente era obrigado a se matar, já que tudo seria negado a ele.

bullying não dispensava nem mesmo os grandes samurais, imagine o que ele pode fazer com você.

O Seppuku na Cultura do Bushido

O seppuku ganha ainda mais força e entendimento quando estudamos o Bushido ou ensinamentos como o Livro dos Cinco Anéis e então tudo faz sentido, e esse entendimento pode ser usado para explicar tanto o samurai suicida quanto o piloto kamikaze. Ambos estão conectados intimamente por fortes correntes ideológicas. Deixa claro para a cultura nipônica que o erro é um caminho sem volta e esfrega na cara dos ocidentais que a busca por algo menor do que a perfeição é, digamos, uma esmola.

Todo mundo quer a perfeição, claro, só acho meio chata a ideia de abrir meu próprio estômago e morrer envolto em dor alucinante enquanto meu sangue e minhas tripas se espalham pelo chão.

E se você acha que tirar a própria vida em nome do propósito cultural perfeccionista e milenar de minha sociedade é um tanto extremo demais para ser aplicado em terras tupinikins (onde o jeitinho brasileiro macula nossa imagem para qualquer um no planeta), o que podemos dizer quando a sociedade exige o suicídio para homenagear outra pessoa?!

Próxima postagem conheceremos o sacrifício imposto para a viúva indiana, conhecido como Sati.

Aguarde e confie.

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. luciojb disse:

    kkkkk E se você acha que tirar a própria vida em nome do propósito cultural perfeccionista e milenar de minha sociedade é um tanto extremo demais para ser aplicado em terras tupinikins (onde o jeitinho brasileiro macula nossa imagem para qualquer um no planeta), o que podemos dizer quando a sociedade exige o suicídio para homenagear outra pessoa?!
    É só não se matar, kkkkk.

    Achei maravilhoso, parece uma cultura muito interessante. Não posso criticar porque não vivo lá, mas os cara são foda, nem tudo na vida são flores. Ainda acho que a escolha do que fazer com a vida é de cada um, não deve ser forçada por indivíduos externos.

    Açs

    Curtido por 1 pessoa

Comenta aí, pô!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s