Manuscritos de Timbuktu ameaçados

Para quem não andou acompanhando os eventos ocorridos nesta cidade, vamos relembrar.

Desde o ano passado que o Mali (oficialmente República do Mali) é o sétimo país mais populoso da África (sim, jovem gafanhoto, a África NÃO É UM PAÍS) e a maior parte dos cidadãos vivem abaixo da linha da pobreza. Como se isso não bastasse pra ser trágico, essa região se encontra em um clima constante de guerra assassina. Rebeldes vinculados a uma extensão do grupo Al-Qaeda (aquele do Bin Laden) chamado AQMI (Al Qaeda no Magreb Islâmico) tomara o norte da região.

REPÚBLICA DO MALI EM CLIMA DE GUERRA

Pelo que apurei, cerca de três grupos islamitas ocuparam o norte do Mali, entre eles, o que mais tomou destaque é o AQMI (Al Qaeda na Magrebe Islâmica), antes chamado Grupo Salafista para Pregação e Combate. Ainda, o apoio do exército americano andou passando informações e atuando com o Setor de Inteligência. Em certos momentos, comenta-se que até armamento foi disponibilizado…

… E Eu não duvido.

O fato é que as forças rebeldes acabaram recuando, o que não impediu que um atentado contra a cultura do povo malines fosse posto em prática: A Biblioteca Mamma Haidara e seus sagrados manuscritos foram incendiados.

Um edifício que custou milhões de euros totalmente destruído.

AMEAÇA AO PATRIMÔNIO DO MALI

Este é Lazare Eloundou Assomo - Centro do Patrimônio Mundial da UNESCO
Este é Lazare Eloundou Assomo – Centro do Patrimônio Mundial da UNESCO

Uma equipe de especialistas chegou até a região do Mali e constatou que os danos causados ao Patrimônio Cultural de Timbuktu são maiores e piores do que se imaginava. A extensão dos efeitos dos ataques ocorridos durante conflitos com os rebeldes que dominaram a região é alarmante, segundo Lazare Eloundou Assomo do Centro do Patrimônio Mundial da UNESCO.

Para você ter uma ideia, a expedição atestou que 14 mausoléus de Timbuktu, incluindo aqueles que fazem parte do patrimônio Mundial da UNESCO, foram totalmente destruídos, além da lendária mesquita de Djinguereber. No caso deste ultimo, a mesquita foi atacada com inchadas e picaretas.

O ataque foi atribuído ao grupo Anser Dine (Defensores da Fé), um grupo militante islâmico. Outras regiões atacadas foram o emblemático monumento El Farouk, próximo da entrada da cidade.

INSURGENCIA ISLAMICA NO MAGREBE

O Magrebe e uma região noroeste da África e significa Poente ou Ocidente. É geograficamente limitada pelo Mar Mediterrâneo e engloba o Marrrocos, Argélia, Tunísia, Sahara Ocidental, a Mauritânia e a Líbia.  A França resolveu intervir, dando uma mãozinha neste momento febril, ou uma mãozona no meio da cara.

Para quem não sabe, o Mali pertencia a França, mas são independentes desde 1960. Na verdade, foi ela (a França) que protagonizou as primeiras ações diplomáticas internacionais para remediar ações de grupos rebeldes na região, além de treinar o exército Mali, na intenção de que eles pudessem resolver seus próprios problemas.

Não preciso dizer que não saiu como esperado e agora, ofensivas aéreas agora são a nova ferramenta diplomática francesa. Contudo, nem tudo está perdido.

RESGATE DAS BIBLIOTECAS DO MALI

Este é Abdel Kader Haidara, o DIretor da biblioteca Mamma Haidara
Este é Abdel Kader Haidara, o DIretor da biblioteca Mamma Haidara

Dizem que o verdadeiro herói aparece no pior momento e creio que não haveria momento melhor para surgir das cinzas alguém com coragem e determinação para ajudar o povo de Timbuktu a sair de tamanha catástrofe. O bibliotecário Abdel Kader Haidara (diretor da biblioteca Mamma Haidara), junto com outros companheiros de profissão, promoveram o maior resgate cultural de sua época.

Transportar mais de 350 mil exemplares de livros das bibliotecas do Mali para um local seguro.

Claro que não há qualquer lugar seguro no Mali, nem atrás da arma que mata ou aleija, então o negócio se torna ainda mais complicado. Auxiliados pelo Ministério de Relações Exteriores da Alemanha, bibliotecários e livreiros em geral percorreram mais de 700km (várias vezes) em carros civis disfarçados de carros de frutas, tipo quitandeiro.

Tudo custeado pela Alemanha.

Na verdade, a coisa foi tão bem arquitetada que você mesmo pode verificar que várias reportagens

O político Guido Westerwelle moveu esforços para salvar mais de 200 mil manuscritos em Timbukto
Guido Westerwelle ajudou a salvar os Manuscritos em Timbukto

apontam que bibliotecas da região foram destruídas e seu conteúdo, incendiado e perdido para sempre no limbo do esquecimento. O resgate da biblioteca do Instituto Armed Baba foi destruída por completo e o prefeito, o Sr. Hallé Ousmani Cissé sequer desconfiou de que seu vasto acervo foi salvo.

Ou parte dele.

Eu vi em uma reportagem sobre esse assunto que o professor José Luiz Goldfarb, (PUC-SP) comentou que  “Quando uma biblioteca é destruída, é como se parte da nossa história e, portanto, de nós mesmos fosse eliminada.” Embora resgatados, os documentos que saíram de Timbuktu agora precisam ser cuidadosamente catalogados, trabalho que será feito com o apoio da Alemanha e da África do Sul.

Como foram retirados às pressas, muitos arrancados das caixas que os protegiam, eles estão tão desorganizados que não se sabe ainda, precisamente, o que de fato foi salvo e o que foi perdido.

Anúncios

Comenta aí, pô!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s