A história do Papa mais sinistro da história vira livro

O momento é oportuno, com a renúncia de Bento XVI do trono de Pedro, não há melhor momento para se divulgar a biografia do Papa mais monstruoso, perverso, traiçoeiro, sacana, sinistrão e cachorro que você pode imaginar.

Estou falando de Rodrigo Bórgia, mais conhecido como Papa Alexandre VI. Este indivíduo aí da foto.

Alexandre VI
Registro visual de Alexandre VI, em seus aposentos, usando uma câmera TekPix, a filmadora mais vendida do Brasil. Tenha uma aula de manutenção de uma Tekpix.

O livro chama-se Alexandre VI – Bórgia, o Papa Sinistro, da editora Europa. O autor é o alemão Volker Reinhardt e tem quase 500 páginas relatando 11 anos de putaria e intrigas protagonizados por essa família nada ortodoxa. A pré venda estava marcada para o dia 14/01/13, porém, no Catálogo da Livraria da Folha aponta o lançamento para março.

O preço não está ruim. Deixe de ser um mão de vaca e compre cultura.

UMA RAPIDINHA COM A FAMÍLIA BÓRGIA
Se você é daqueles que questiona a integridade moral da Igreja Católica Apostólica Romana, aponta seu dedo torto e melecado para os padres pedófilos que brotam nos jornais, apresenta uma opinião intelectualmente alimentada por datas e nomes, enfim, se você é daqueles que acredita que a Igreja Católica Apostólica Romana não tem mais como surpreender a sociedade com… assim… seus desvios de conduta, você precisa conhecer este homem.

Pelo que se sabe, a família Bórgia foi composta por indivíduos que são bem aqueles que você gostaria de ter como inimigos. Na verdade, aqueles que viveram na época da ascensão de Rodrigo Bórgia (Renascentismo), viram um verdadeiro horror. Crimes de toda a sorte correram solto pelas ruas de Roma, os mais frequentes eram adultério, corrupção, estupros e assassinatos por envenenamento.

Eles eram muito ocupados.

PARENTES FAMOSOS
A família Bórgia era bem grande e seus feitos eram ouvidos (e questionados também) por todo o povo. A vida sexual de Alexandre VI era bastante ativa para um Papa, tanto que um de seus filhos (sim, o papa teve filhos), César Bórgias, nomeado Cardeal aos 16 anos (com os hormônios explodindo feito o cosmo do Seiya depois de apanhar cinco episódios seguidos), seria retratado por Nicolau Maquiavel em sua obra mais famosa, O Príncipe.

Para quem não sabe, Maquiavel também escreveu Belfagor, comédia interessante, recomendado pelo Bazuca.

Outro parente que levou o caráter familiar ao extremo foi Lucrécia Bórgia. Com efeito, o lado sexual da família Bórgia era algo fora do normal, enquanto César Bórgia era insultado como “Sensual” e Rodrigo Bórgia era papa e tinha duas amantes, Lucrécia Bórgia era capaz de, segundo apontam eventos da época, transar com qualquer coisa que fosse capaz de tal ato, homens, animais, enfim, já deu pra entender.

Anúncios

Comenta aí, pô!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s